Como tratar manchas de espinha e melasma na pele?

Embora as espinhas sejam mais comuns na adolescência, existem outros fatores que propiciam o desenvolvimento desse problema, independentemente da idade. Já o melasma é um distúrbio de pigmentação caracterizado pelo surgimento de manchas amarronzadas em algumas áreas do rosto.

Para o tratamento das manchas deixadas por esses dois tipos de problemas de pele, os ácidos clareadores, como o glicólico e o tranexâmico, costumam ser bastante eficazes.

Neste artigo, vamos mostrar outras opções de tratamento para essas manchas e explicar como evitar o surgimento de novos tipos. Acompanhe a leitura!

O que causa as manchas de espinhas?

Antes de saber como tratar as manchas causadas pelas espinhas, é importante entender a origem e a causa do problema. O hábito de manipular pontos brancos no rosto, por exemplo, apesar de bastante comum, pode favorecer o surgimento de marcas e manchas, pois incentivam a inflamação do local.

Além disso, outra causa pode ser a falta do uso de proteção solar adequada no rosto. Isso porque o filtro solar evita que tanto as espinhas quanto as manchas causadas por elas se agravem.

Tratamento de manchas de espinhas

Além do uso do protetor solar, é possível tratar manchas de espinhas por meio de produtos clareadores disponíveis em farmácias, procedimentos médicos monitorados por um médico dermatologista e por meio de tratamento com ácidos, que oferecem bons resultados.

Os ácidos glicólico e salicílico são os mais indicados para a pele oleosa e com espinhas. Porém, é importante ressaltar que o tratamento com essas substâncias deve ser feito por um período de pelo menos 60 dias sob a orientação de um dermatologista.

Nesse caso, é importante utilizar os ácidos no período noturno, logo após a limpeza de pele, aplicando uma camada bem fina e evitando a proximidade com o nariz e os olhos.

Pela manhã, é primordial lavar o rosto com um sabonete apropriado para o seu tipo de pele e, logo em seguida, aplicar o filtro solar.

O que causa as manchas de melasma?

Existem três tipos distintos de melasma:

  1. dérmico, caracterizado pelo depósito de melanina em volta dos vasos profundos e superficiais;
  2. epidérmico, quando há depósito acentuado de pigmento na camada mais superficial da pele (epiderme).
  3. misto, quando há pigmentação em demasia não só na epiderme, mas também na derme e em outras áreas.

Diversos fatores podem causar o surgimento dessas manchas. Entre eles, podemos destacar:

  • exposição ao sol e ao calor sem a devida proteção;
  • uso de pílulas contraceptivas;
  • alterações hormonais causadas pela gravidez etc.

Em relação à prevenção das manchas de melasma, o uso de protetor solar diariamente, mesmo em ambientes fechados, pode ajudar bastante. Além disso, evitar a exposição excessiva ao sol, ao calor e, se possível, se proteger com um boné ou um chapéu também são boas medidas de prevenção.

Tratamento de manchas de melasma

Nas farmácias existem muitos produtos que prometem clarear as manchas de melasma, porém, o ideal é sempre consultar um especialista.

E, entre os diversos tipos de tratamentos disponíveis, o mais indicado é o com ácidos. Veja a seguir os mais utilizados para tratar o problema:

Ácido tranexâmico

O ácido tranexâmico pode ser muito eficaz para quem tem melasma, especialmente quando já foram feitos outros tratamentos sem sucesso. Ele trabalha diminuindo a síntese de melanina e age diretamente na inflamação e na vascularização, minimizando a vermelhidão da pele.

Ácido glicólico

Este tipo de ácido é um renovador celular muito potente, capaz de remover a melanina da camada córnea, que é a mais externa da epiderme.

Além disso, ele consegue melhorar consideravelmente a textura da pele, tem um efeito hidratante e facilita a penetração de outros ativos. Quando se trata de clareamento, ele funciona muito bem, especialmente em peles maduras.

Ácido ascórbico

Mais conhecido como vitamina C, o ácido ascórbico é um dos antioxidantes mais poderosos que existem. Ele é capaz de promover o clareamento da pele e ainda combater os radicais livres.

A vitamina C consegue inibir as etapas oxidativas do processo de formação da melanina, promovendo o clareamento da pele. Entretanto, para entregar bons resultados, ela precisa ser usada constantemente por longos períodos.

Vale ressaltar que de nada adianta usar constantemente a vitamina C e esquecer do protetor solar, uma vez que a radiação solar é um dos principais fatores do agravamento do melasma.

Deixe um comentário