Como pausar um financiamento imobiliário?

Comprar um imóvel é um desafio que envolve diversos fatores, como renda mensal, estabilidade no trabalho, número de integrantes da família e necessidades de cada um.

No processo de compra, é preciso fazer uma ótima pesquisa, comparando as vantagens e as desvantagens de cada imóvel, bem como os preços e as possibilidades de pagamento.

Quem busca financiamento imobiliário deve estar atento às condições de cada instituição para conceder crédito imobiliário. O que muita gente não sabe é que é possível pausar um financiamento. Veja como fazer isso a seguir.

Como fazer?

Desde 27 de julho de 2020, a Caixa Econômica Federal estendeu a pausa para o pagamento das prestações de financiamentos imobiliários de 120 para 180 dias. Até agora, mais de 2,4 milhões de contratos já foram pausados, totalizando um montante de R$ 8,6 bilhões.

Contudo, a ampliação não é automática. Para realizá-la, o cliente deve solicitar o aumento do período sem pagar a prestação utilizando o aplicativo “Habitação Caixa” ou ligando nos telefones 3004-1105, 0800-726-0505, opção 7.

Por que?

A medida de prorrogação, denominada “Pausa Emergencial por mais 60 dias” inicialmente, foi adotada para auxiliar clientes que pagavam financiamento habitacional a não perder o imóvel desde o início da pandemia no Brasil.

Essa pausa permitiu que eles não se tornassem inadimplentes em relação à linha de crédito contratada. Também é possível que pessoas jurídicas pausem o financiamento da Caixa para empreendimentos, aquisição e construções de imóveis comerciais.

Condições

Antes de fechar um financiamento e fazer qualquer alteração sobre ele, estude bem as condições exigidas pela instituição bancária envolvida. A Caixa Econômica Federal oferece a possibilidade de pausa por até seis meses para clientes que recebem seguro-desemprego ou auxílio emergencial. Outra condição é que as parcelas estejam em dia ou com um atraso máximo de dois meses.

Além de pausas, a Caixa oferece diferentes porcentagens de redução da prestação: 25% por até 6 meses e 74,99% por até 3 meses. No primeiro caso, não é necessário apresentar documentos, mas no segundo, sim (uma autodeclaração de perda de renda e outros documentos formais).

A pausa pode ser destinada a imóveis financiados pelo Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) ou pela modalidade Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Porém, os solicitantes não podem utilizar o saldo do FGTS para reduzir o valor das prestações mensais.

Já a pessoa jurídica deve falar com o gerente para solicitar a pausa no financiamento. Ainda é possível acessar a Agência Digital da Caixa por meio do WhatsApp, que fica disponível aos clientes correntistas da Caixa. Basta inserir o número da agência e da conta para ser direcionado para o atendimento remoto na agência.

Encargos e verificação

A própria Caixa Econômica Federal é responsável por verificar os dados, já que ela gerencia o pagamento desses benefícios e possui acesso às informações de cada cliente.

É importante lembrar que, durante o período de pausa, o contrato não fica isento da incidência de juros remuneratórios, taxas e seguros. Os valores desses encargos são somados ao saldo devedor do contrato inicialmente estabelecido e diluídos no prazo restante.

Lembre-se de que a taxa de juros e o prazo de financiamento estabelecidos no momento em que o contrato foi fechado não sofrem alterações.

Deixe um comentário