Óleo de melaleuca: o que é e para que serve?

A natureza é fonte das maiores riquezas para a humanidade e isso inclui as plantas. Na Austrália, por exemplo, a árvore Melaleuca alternifolia tem folhas cujo óleo extraído tem diversas propriedades, tais como poder cicatrizante, descongestionante e até mesmo antioleosidade.

Trata-se do óleo de melaleuca, substância que vem sendo muito usada (principalmente na indústria de dermocosméticos para o tratamento no combate aos cravos, espinhas e excesso de oleosidade) junto ao ácido salicílico. Saiba mais sobre os benefícios do óleo de melaleuca e como adotá-lo na sua rotina de skincare diária.

Propriedades do óleo de melaleuca

Conhecida também como árvore do chá (tea tree), a árvore de melaleuca vem sendo cultivada fora da Austrália, em regiões da Ásia, Europa e, é claro, América do Sul.

Para além de seu cheiro marcante, a melaleuca também traz consigo uma potente união de diferentes componentes orgânicos. O terpinen-4-ol, por exemplo, tem ação purificante, estimulante, de tonificante, antibacteriana e antivirótica. Já o a-terpineol tem propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes.

Com todos esses benefícios, porém, é preciso dizer que essa substância deve ser usada de forma associada a outras substâncias, tais como água, loções e outros óleos. Além de não ser recomendada sua ingestão, seu uso tópico é contraindicado para gestantes nos primeiros três meses de gravidez.

Desinfecção de feridas

Para se ter uma ideia do potencial do óleo de melaleuca, esta substância era encontrada, durante as guerras, nas maletas de primeiros socorros de soldados australianos e britânicos. Isso em razão de sua ação cicatrizante, anti-inflamatória e que ameniza marcas de queimaduras.

No caso de feridas abertas, algumas bactérias podem ser facilmente eliminadas com o uso do óleo, a exemplo de E. coli, S. pneumoniae, H. influenzae, S. aureus. O indicado é usar a mistura de 1 gota de óleo de melaleuca com 1 colher de sopa de óleo de amêndoas no local ferido uma ou duas vezes por dia até cicatrizar.

Tratamento de fungos

As propriedades fungicidas do óleo de melaleuca fazem dele uma substância indicada para o tratamento de micose nas unhas, seja sozinho ou combinado com outras medicações. Basta aplicar uma mistura de 3 gotas do óleo com outro óleo vegetal (de coco ou amêndoas). A mistura também fortalece as unhas e as cutículas.

O óleo também serve como um ótimo complemento para tratar frieiras (pé de atleta), melhorando também os sintomas próprios desta infecção. Além disso, a candidíase também pode ser tratada com o óleo, seja em aplicações com cremes vaginais ou em banhos de assento (2 gotas em 2 litros de água aquecida). 

Tratamento de dermatite seborreica

Popularmente conhecida como caspa, a dermatite seborreica é um problema que afeta tanto homens quanto mulheres, causando coceira e o espalhamento de pequenas placas esbranquiçadas no couro cabeludo. Nesse caso, o óleo de melaleuca é um dos mais indicados para um tratamento eficaz.

A substância auxilia na remoção dessas minúsculas escamas do couro cabeludo, inibindo a coceira e ajudando ainda no controle da oleosidade dos cabelos. Algumas gotas do óleo podem ser adicionadas ao shampoo, mas já existem fórmulas específicas para o tratamento de seborreia, bem como de psoríase.

Tratamento de acne

Por último, mas não menos importante, o óleo de melaleuca tem excelentes benefícios para ser usado no combate a cravos e espinhas. Por inibir a proliferação de bactérias e por seu efeito anti-inflamatório, esse óleo vem sendo cada vez mais usado pela indústria de dermocosméticos.

O excesso de oleosidade também é tratado por esse óleo, considerado tão eficaz quanto o peróxido de benzoíla, com a vantagem de ser menos irritante para a pele (em uma concentração de 5%).

Deixe um comentário